Financiamento em projetos de jornalismo nativo digital
Home Dissertações

Financiamento em projetos de jornalismo nativo digital

Financiamento em projetos de jornalismo nativo digital

Adalberto Wodianer Marcondes da Silva

Orientador(a): Profa. Dra. Egle Müller Spinelli

Esta pesquisa pretende compreender o financiamento de iniciativas de jornalismo brasileiras no ambiente digital, a partir da revisão da literatura sobre as transformações do jornalismo tradicional para o digital, modelos de captação de recursos nas empresas informativas e tipos de financiamento. Dessa maneira, tem como objetivo verificar como projetos de jornalismo digital estão se organizando para obter os recursos necessários para remunerar jornalistas, investir em tecnologias e produção de conteúdos e gerar receitas. A pesquisa tomou como base organizações que produzem jornalismo independente em ambiente digital no Brasil e utilizou como método entrevistas que buscaram verificar quanto essas mídias conseguiram arrecadar em 2018 e quais foram os principais meios utilizados para financiar suas operações. As iniciativas escolhidas não deixaram dúvidas em relação à qualidade de sua produção jornalística, no entanto, quanto à sua relação com o mercado, ficou claro que há ainda muito a caminhar. Não há evidências de que esses meios estão de fato se preparando para ocupar um lugar no que costumamos chamar de “indústria jornalística”. Grande parte deles não tem um projeto concreto de captação de recursos a partir de uma modelagem de negócios. Outros têm na filantropia sua melhor opção de financiamento e alguns acreditam que aceitar financiamento, seja de quem for, pode comprometer a independência do jornalismo que praticam. A origem das mídias analisadas é, em grande parte, o desejo de profissionais do jornalismo em fazer algo diferente do que se encontra na mídia tradicional, todas dedicam-se a temas que normalmente não estão na pauta da grande imprensa e vinculados às “causas” socioambientais, como por exemplo, direitos humanos, desigualdade, gênero e meio ambiente. São meios bastante organizados no quesito produção de conteúdo, entretanto, apenas um deles declarou ter um profissional dedicado à captação de recursos. Entre as conclusões desta pesquisa é apontada a falta de preparo em formatar um modelo de captação capaz de oferecer segurança financeira. Mesmo os que declaram ter atividades paralelas ao jornalismo, como assessoria, consultoria, oferta de cursos ou produção de eventos – são apenas esporádicas. A principal conclusão da pesquisa é que os meios nativos digitais precisam se ocupar com a formatação de modelos de captação de recursos por meio da atividade fim, ou seja, assinaturas e publicidade, mas também deveriam utilizar suas expertises editoriais para alavancar outras atividades capazes de oferecer suporte financeiro subsidiário às suas atividades. O caminho para o fortalecimento e crescimento das iniciativas passa por uma visão pragmática de suas relações com seus públicos/comunidades e com o mercado em que atuam.

Translate