Corpo Docente - Comunicação e Práticas do Consumo
Casa Comunicação e Práticas do Consumo

Corpo Docente – Comunicação e Práticas do Consumo

Denise Cogo

 

TÍTULO: Mídias, ação coletiva e cidadania de imigrantes internacionais na cidade de São Paulo no contexto da mobilidade Sul-Sul
RESUMO: O projeto de pesquisa visa analisar os usos das mídias por imigrantes internacionais oriundos do Sul global, na cidade de São Paulo, a partir da década de 1990 até os dias atuais, a fim de refletir sobre como as mídias se constituem em espaços políticos e comunicacionais de ação coletiva e cidadã dessas migrações. Busca-se compreender, por um lado, como os processos de produção, gestão e circulação das mídias por coletivos migratórios são configurados, nas últimas décadas, pelos reordenamentos tanto dos movimentos e políticas migratórias globais, nacionais e locais, quanto da comunicação e da cultura digitais. Por outro lado, nosso objetivo é analisar como esses processos possibilitam ou não o engendramento de espaços coletivos de articulação e visibilidade de uma agenda comum de cidadania de movimentos migratórios na cidade de São Paulo, incluindo as questões vinculadas às políticas de identidade raciais e de gênero. O referencial teórico fundamenta-se nas interfaces conceituais entre comunicação, mídia, migrações transnacionais, ação coletiva, identidades culturais e cidadania. A metodologia da pesquisa, de caráter qualitativo, abrange pesquisa bibliográfica e documental, mapeamento e coleta de mídias produzidas por imigrantes, realização de entrevistas semiestruturadas com representantes de coletivos migratórios e observação de espaços de ação coletiva organizados por imigrantes na cidade de São Paulo.

VIGÊNCIA: 01/03/2020 a 29/02/2024

 


 

 

Egle Müller Spinelli

 

TÍTULO: Alfabetização midiática e algorítmica: consumo audiovisual em plataformas digitais e competências para cidadania
RESUMO: Este projeto pretende identificar como os sistemas algorítmicos, incorporados nas plataformas digitais que distribuem vídeo on demand, constroem identidades, mediam e governam o consumo das práticas socioculturais na vida cotidiana dos usuários. A partir do mapeamento dos tipos de situações e espaços que as pessoas e os algoritmos se encontram, será investigado a percepção dos jovens sobre o funcionamento dos algoritmos, sobre a retroalimentação dos bancos de dados nas plataformas e como estes dados interferem na modelagem do algoritmo, dos produtos consumidos e da vida cotidiana. A influência do algoritmo no consumo midiático audiovisual em plataformas digitais será examinada para compreender seu poder social na formação de identidades e averiguar a atuação autônoma da sociedade contemporânea no exercício da liberdade e cidadania. Este trabalho é projetado para mapear uma alfabetização midiática e algorítmica em uma sociedade na qual sistemas de informação e plataformas de mídia digital estão cada vez mais entrelaçadas na vida dos usuários e nas instituições públicas e privadas das quais participam. A natureza da pesquisa é qualitativa e, por meio de levantamento bibliográfico sobre comunicação, consumo, educação e algoritmos propõe-se constituir um arcabouço teórico e metodológico, com o intuito de verificar sentidos atribuídos pela compreensão dos algorítmicos por jovens consumidores nas plataformas digitais, para a constituição de identidades cidadãs e participativas, que possam ser exploradas por professores e gestores em projetos que envolvam alfabetização midiática.

VIGÊNCIA: 01/09/2019 a 01/09/2022

 


 

 

Eliza Bachega Casadei

 

TÍTULO: Convocações ao consumo masculino nas práticas midiáticas: entre as articulações afetivas do consumo e os modelos de virilidade mediados
RESUMO: O presente projeto de pesquisa tem como objeto a variabilidade dos endereçamentos convocacionais ao consumo masculino nas práticas midiáticas desde a perspectiva das modalizações dos afetos mediados. A partir do pressuposto de que os sentidos da masculinidade são constituídos e ressignificados tanto nas experiências particulares e nas práticas sociais quanto nas representações socialmente mediadas do tema nas práticas midiáticas, o objetivo geral é estudar as correlações estético-políticas da masculinidade urdidas nas práticas midiáticas com a proposta de analisar as estratégias de convocação ao consumo masculino articuladas a partir dos afetos. Para isso, utilizaremos os procedimentos metodológicos previstos no campo da Análise Crítica do Discurso em intersecção com os pressupostos da Semiótica dos Afetos. Espera-se, com isso, (1) mapear a forma como os afetos são mediados em publicações voltadas exclusivamente para o consumo masculino; (2) estudar as estratégias de produção de sentido a partir das quais tais afetos estão vinculados a universos de consumo (materiais e simbólicos); (3) analisar como tais estratégias se materializam em formas de convocação para o consumo; (4) comparar as diferentes estratégias mobilizadas para o entendimento de suas especificidades, relacionando-as às modificações tanto das construções discursivas da masculinidade quanto à mudanças nos processos de convocação para o consumo no que se refere à partilha entre os gêneros.

VIGÊNCIA: 01/09/2019 a 01/09/2022

 


 

 

Gabriela M. R. de Almeida

 

TÍTULO: Cinema radical: o audiovisual em contextos de disputas e a crise como prática fílmica
RESUMO: O projeto de pesquisa se debruça sobre o cinema radical, conceito em formulação que diz respeito a práticas audiovisuais contra-hegemônicas marcadas por características como produção coletiva/cooperativada de baixo orçamento e abordagem de questões macro e micropolíticas a partir de um conhecimento situado e de saberes gerados em contextos minoritários. Afirma-se o cinema radical como prática contingente, experiencial e relacional, com o objetivo de discutir seus limites e possibilidades enquanto política da imagem, desobediência epistêmica e cidadania sob a lógica da visibilidade. Toma-se como marcos teóricos principais Jacques Rancière (1996, 2009, 2012, 2014), Hito Steyerl (2010, 2014a, 2014b, 2015), McLagan e McKee (2012) e Canclini (1995, 2005). A proposta, de inspiração metodológica cartográfica, toma como corpus analítico inicial a produção oriunda dos agentes e coletivos integrantes da rede Radical Film Network.

VIGÊNCIA: 01/11/2019 a 01/11/2022

 


 

 

Gisela G. S. Castro

 

TÍTULO: Comunicação, Consumo e Longevidade: as velhices na mídia e a modulação dos significados do longeviver nas lógicas de consumo
RESUMO: Este projeto de pesquisa toma como objeto a modulação dos significados do envelhecimento nos modos de apresentação das pessoas mais velhas no cinema e em diversas produções midiáticas tais como a publicidade, os reality shows, as narrativas ficcionais em série e as redes sociais digitais, dentre outras. Examina-se a articulação comunicação consumo que ensejam tais modos de apresentação visando descortinar as estratégias de mercado e as lógicas que as sustentam. Entendemos que a temática que abordamos é espinhosa, porém consideramos que seja necessária e urgente. Precisamos enfrentar a questão do envelhecimento e do longeviver, problematizando pressupostos e arraigados preconceitos que permeiam o senso comum e informam em grande parte o imaginário sobre os mais velhos em nossas sociedades. Nossa pesquisa tem como objetivo geral refletir sobre o papel do simbólico na experiência vivida de modo a contribuir para a responsabilidade social da comunicação na promoção de formas mais respeitosas e solidárias de viver e atuar no mundo. Como objetivos específicos, pretende-se contribuir para estimular o debate tão atual quanto necessário acerca do preconceito social do idadismo, que tem recebido atenção ainda insuficiente em nosso meio acadêmico e, ainda, contribuir para a constituição de uma visão mais nuançada das velhices, considerando seus diversos intercruzamentos de ordem sociocultural. Denominamos como análise crítica comunicacional a abordagem metodológica que descreve e interpreta cada objeto empírico selecionado com base nos fundamentos teórico-conceituais que alicerçam a pesquisa.

VIGÊNCIA: 13/09/2019 a 13/09/2022

 


 

 

João Anzanello Carrascoza

 

TÍTULO: Publicidade e literatura: novos estudos sobre a lírica do consumo
RESUMO: Nas últmas décadas, a concepção de consumo – o ato de aquisição de mercadorias – se ampliou com as refexões de estudiosos de distntas áreas, como flósofos, antropólogos e sociólogos, sendo entendido hoje como um fenômeno sócio-cultural. Uma das formas de estudarmos o consumo é por meio de retextualização (Betetni) – transposição de um texto (literário, por exemplo) de seu domínio original para outro (o cientfco). Assim como Benjamin se vale dos poemas de Baudelaire para analisar o advento da modernidade, investgaremos o consumo e suas relações com a comunicação publicitária por meio de obras literárias, mobilizando conceitos da Análise do Discurso de linha francesa, da Nova Retórica e da Teoria Literária. Como resultado, pretendemos não apenas a produção e publicação de artgos acadêmicos, mas a elaboração de um material didátco adjuvante ao estudo do consumo nos cursos de graduação e pós-graduação em Comunicação.

VIGÊNCIA: 07/10/2019 a 07/10/2022

 


 

 

Luiz Peres Neto

 

TÍTULO: Mídias interativas, consumo e vigilância: a fabricação da audiência e as redefinições éticas da privacidade
RESUMO: Este projeto busca analisar se/ como/ em que medida as práticas de vigilância constituídas pelo/no consumo de mídias interativas favorecem novos arranjos em torno de ser/estar audiência, contribuindo, ademais, para o estabelecimento de novas reconfigurações éticas da privacidade. Partindo de uma revisão do conceito de audiência como parte de uma economia política de comodização do ciberespaço, tensiona os problemas éticos das práticas de vigilância, o que nos permite questionar o que entendemos por privacidade. Do ponto de vista metodológico, trabalha com o referencial da Hermenêutica de Profundidade (HP) de J.B. Thompson.

VIGÊNCIA: 01/09/2019 a 01/09/2022

 


 

 

Márcia Tondato

 

TÍTULO: Processos identitários na sociedade midiatizada: relações sociais, práticas de consumo e atribuições de sentido
RESUMO: Esta pesquisa parte da perspectiva do consumo como constituição das identidades no contexto da sociedade midiatizada. O objetivo é conhecer o consumidor que frequenta espaços caracterizados por práticas de aquisição de produtos diversas das tradicionais (oferta – compra e venda de produtos novos), que se beneficia da mudança da relação produtor-consumidor, do ponto de vista da constituição de uma identidade social. A reflexão se dá com base nas práticas de consumo como lócus de articulação do simbólico e relações com a diversidade de estilos de vida que se nos apresentam a cada dia, entendendo que posicionamentos político-ideológicos também fundamentam as práticas e hábitos de consumo. A proposta é identificar como se dá a atribuição de sentido por parte dos frequentadores de espaços que a princípio identificamos como alternativos de consumo como os brechós, locais de doação de roupas e bens, bazares permanentes, em vista de estilos de vida caracterizados por aspectos de resistência aos hegemonicamente estabelecidos, ou como opção para aqueles sem condições materiais de frequentar o comércio tradicional. Em termos de abordagem metodológica, a aproximação dos sujeitos de interesse se dará por caminhos que priorizem a dedução, em especial, a realização de entrevistas pessoais individuais. O objetivo será coletar informações (hábitos, opiniões, percepções) que possibilitem responder à problematização com base na análise e interpretação das falas destes entrevistados, das representações sociais e narrativas de si. Após o levantamento da oferta dos espaços de interesse na cidade de São Paulo, tomando como critério o zoneamento da cidade: Centro – Leste – Oeste – Sul – Norte, definiremos o recorte de exploração empírica, procurando atender ao menos a três categorizações – interesse ecológico, social/popular e luxo – para então proceder ao conhecimento das dinâmicas dos processos de oferta e aquisição que lá ocorrem. Nesta fase serão realizadas entrevistas com os responsáveis pelos espaços. A abordagem dos frequentadores será feita por meio da aplicação de instrumentos semiestruturados para conhecimento de seus hábitos e opiniões sobre o consumo que lá ocorre. A amostragem será por intencionalidade.

VIGÊNCIA: 01/09/2019 a 01/09/2022

 


 

 

Mônica Rebecca Ferrari Nunes

 

TÍTULO: Memórias do futuro, códigos e consumos: teatralidades steams, textos e espaços
RESUMO: A investigação tematiza a memória na cultura. O objeto teórico diz respeito às articulações entre a codificação da memória e do tempo, com base em Iuri Lótman, e as codificações do retrofuturismo, como fundante para a discussão sobre memórias do futuro. Os objetos empíricos são as narrativas ficcionais steams, indumentárias e artefatos; filmes, animes, produções impressas, textos publicitários; narrativas (presenciais e midiáticas) sobre esperança e risco provocados pelas dinâmicas do espaço social. O objetivo geral é entender como é produzida e codificada a memória do futuro que pode ser materializada seja nas teatralidades steams, seja em textos culturais impressos ou audiovisuais, seja ainda nos espaços sociais, semioticamente compreendido, em que a memória do futuro também se manifesta para o consumo midiático e simbólico-afetivo. Os objetivos específicos são: mapear as conceituações de memória e tempo em Iúri Lótman; identificar processos explosivos (LÓTMAN, 1999) na produção de memórias e consumos de materialidades; coletar e analisar narrativas orais e escritas assim como os indumentos criados pelos steamers; analisar textos culturais midiáticos em que esta memória do futuro podem se manifestar; pesquisar os códigos da memória do futuro no espaço social e discutir os aspectos sociopolíticos que assumem, sobretudo moradia, alimentação e trabalho. Os fundamentos teóricos e metodológicos provêm da Teoria Semiótica da Cultura de Tártu-Moscou em diálogo com autores das Ciências Humanas que investigam a memória assim como os conceitos de retrofuturismo, ucronia, utopia, distopia, heterotopia e retrotopia. Espera-se demonstrar que estes são os códigos para a memória do futuro e que revelam aspectos sociais, políticos, imaginários e simbólicos do que se expecta do futuro nas culturas do consumo.

VIGÊNCIA: 08/10/2019 a 08/10/2022

 


 

 

Rosamaria Luiza (Rose) de Melo Rocha

 

 

TÍTULO: Artivismo musical de gênero em São Paulo: dinâmicas de comunicação, contextos de consumo, políticas de apresentação e audiovisibilidade em um pop encarnado e translocal
RESUMO: São objeto desta pesquisa expressões artivistas contemporâneas de cantores, músicos e musicistas brasileiras/os vinculadas/os ao debate de gênero. Nossa problemática de investigação consiste em refletir criticamente sobre as características, as implicações e as condições atuais do artivismo de gênero imbricado na música brasileira e na cultura pop transnacional, considerando a relação entre políticas de audiovisibilidade, processos de subjetivação e enfrentamento de condições de subalternização/exclusão/vulnerabilidade pela via estética/artística. Nosso objetivo geral é analisar estas expressões audiovisuais em rede que se assumem e se enunciam estética e politicamente na perspectiva de serem ações protagônicas, não essencialistas e anti-canônicas, observando como as questões de gênero impactam e se expressam nestas narrativas. Para esta etapa da pesquisa será priorizado um corpus específico, composto por expressões audiovisuais públicas e autorais (videoclipes, lives, canais próprios em redes sociais) de quatro sujeitos de investigação: a poliartista travesti Linn da Quebrada; o fusion-rapper gay negro Rico Dalasam; a drag diva-pop Gloria Groove e o rapper não-binário Triz Rutzatz, ambos com uma forte vinculação à cidade de São Paulo, às periferias urbanas e, em alguns casos, à cena noturna e ao fervo paulistano. Para responder a nossos problemas de pesquisa utilizamos um protocolo multimetodológico que contempla a análise de material audiovisual selecionado articulada a aportes teóricos advindos de estudos decoloniais, de estudos não essencialistas de gênero, de determinadas teorias da comunicação, da performance e das audiovisualidades.

VIGÊNCIA: 01/09/2019 a 01/09/2022

 


 

 

Tânia Márcia Cezar Hoff

 

TÍTULO: Discursos midiáticos e biopolíticas do consumo: produção de verdade e modos de subjetivação para a gestão da vida
RESUMO: Este projeto de pesquisa vincula-se à linha de pesquisa “Comunicação, consumo e lógicas de produção” e elege como tema as interrelações entre comunicação, consumo e biopolítica no contexto do neoliberalismo contemporâneo (anos 2010). O objeto empírico a ser investigado são os discursos midiáticos, notadamente o discurso publicitário no que se refere à produção de verdade e aos modos de subjetivação. Quanto aos regimes de verdade, buscamos os saberes sobre a vida; já quanto aos modos de subjetivação, detemo-nos modos de gestão da vida, em especial tratamentos práticos para o corpo sob instrução de autoridades, independente da especialidade. Para tanto, o corpus será composto por material de campanhas, peças ou ações de comunicação publicitária, independente do formato, produzidas e divulgadas na década de 2010. Definimos o seguinte problema de pesquisa: Como se constituem as biopolíticas do consumo, considerando suas inter-relações com a governamentalidade, a partir dos regimes de verdade e da produção de subjetividade presentes nos discursos sobre a gestão da vida na comunicação publicitária contemporânea? Assumimos a análise do discurso como principal conduta teórico-metodológica para refletir sobre as relações entre comunicação, biopolítica e consumo, de modo a problematizar a noção de biopolíticas do consumo, considerando suas inter-relações com a governamentalidade, a partir dos regimes de verdade e da produção de subjetividade presentes nos discursos sobre a gestão da vida na comunicação publicitária contemporânea.

VIGÊNCIA: 01/09/2019 a 01/09/2022

Professores visitantes internacionais

 

 

Ana Cristina Suzina – Loughborough University London (2020)

Amparo Huertas Bailén – Universidade Autônoma de Barcelona (2019)

Jessica Retis – California State University Northridge (2017)

Doris Vizcarronto – Universidade de Porto Rico (2017)

Joseph Dean Straubhaar – University of Texas at Austin (2017)

Isabel Ferin Cunha – Universidade de Coimbra (2016)

Translate