Moda Imaginada
Home Dissertações

Moda Imaginada

Moda Imaginada: Consumo, representações e atribuições de sentido à carreira fashion

Regiane Machado Konopka

Orientador(a): Marcia Perencin Tondato

Esta pesquisa teve como objetivo compreender a atribuição de sentidos à carreira fashion, a partir das representações sociais e dos discursos institucionais das Instituições de Ensino Superior (IES), e sua conexão com a constituição das identidades profissionais dos jovens graduandos em moda. Refletimos sobre o imaginário social acerca do universo da moda, do ponto de vista da idealização do cotidiano de profissionais dessa área. Realizamos este estudo na perspectiva da Comunicação e do Consumo, organizando-a em quatro eixos condutores de reflexão, a saber: Comunicação, Consumo, Identidade e Moda. Nosso quadro teórico-conceitual está fundamentado principalmente em Maria Ap. Baccega, Marcia Tondato, Gilles Lipovetsky, Vander Casaqui, Don Slater e Simone Tuzzo, dentre outros diversos autores que contribuíram para a construção da pesquisa. Quanto ao material empírico, constituímos duas bases de dados: uma documental, formada por textos e imagens dos sites das IES, para compreender os discursos institucionais, e outra construída a partir da realização de três grupos focais compostos por estudantes de moda de três faculdades paulistanas, que nos permitiram entender o universo de crenças e as aspirações dos estudantes. Para a análise dos discursos dos jovens e das IES, adotamos princípios da Análise de Discurso de linha francesa, a partir principalmente de Eni Orlandi, por meio do qual identificamos a perspectiva dos entrevistados quanto à futura profissão e as articulações com a formação de sua identidade profissional. Sinteticamente, o resultado é que a esfera simbólica que a moda representa, e na qual está inserida, constrói um ethos da profissão estruturado em torno da glamorização e da espetacularização, mas não sem causar questionamentos devido à sua natureza efêmera e atrelada historicamente à frivolidade. Nossos achados nos mostram, contudo, que está em curso uma mudança que se manifesta em um desejo latente dos jovens em ressemantizar a moda a partir de uma dimensão social e política, calcada menos no indivíduo privado e mais na coletividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *