Frugal Innovation
Home Teses PMDGI - 2018

Frugal Innovation

Frugal Innovation: A proposal of an instrument to measurement

Dennys Eduardo Rossetto Alves de Araujo

Orientador(a): Felipe Borini

Tanto na academia quanto na imprensa, a Frugal Innovation ganhou mais espaço e atenção de pesquisadores e gerentes, principalmente por se mostrar como uma alternativa para a competitividade em tempos de crise e recursos cada vez mais escassos. Apesar do número crescente de artigos publicados sobre a inovação frugal, ainda há uma falta de instrumentos que permitem medição e quantificação deste fenômeno para permitir a realização de estudos mais  precisos e quantificáveis. Além disso, devido aos amplos conceitos de Inovação Frugal ainda no processo de consolidação, seria muito útil para gestores e empresários um instrumento que permita identificar e orientar as empresas que desejam orientações para o desenvolvimento de ofertas frugais, além de constituir um teor teórico significativo contribuição. Nesta tese, propomos uma escala para identificar e medir a inovação frugal, apresentando os resultados de cinco coleta de dados em três países diferentes (Brasil, EUA e Índia), com todo o processo de desenvolvimento, o refinamento dos itens através de um Exploratório (EFA), Análise de Fator de Confirmação (CFA) e validação final da escala com base nos 1130 dados da empresa. Uma ampla revisão da literatura é apresentada com o resgate dos principais artigos publicados, bem como uma análise da dimensionalidade da construção, todas as definições encontradas na literatura. Além disso, uma melhoria na definição de inovação frugal é proposta através da criação de um ecossistema frugal. Todos os procedimentos seguem as etapas baseadas no paradigma de Churchill (Churchill, 1979) que foi atualizado por Mackenzie, Podsakoff e Podsakoff (2011). No primeiro estágio foram gerados 66 itens com base em uma ampla revisão da literatura. A validação do conteúdo foi realizada através de entrevistas pessoais com 12  especialistas (acadêmicos e gerentes), resultando em 20 itens retidos. Na sequência, a validação do rosto foi realizada com 22 gestores visando melhorar a clareza e a compreensão dos itens, resultando em 12 itens retidos. Com os 12 itens, uma pesquisa foi realizada composta por 191 empresas brasileiras, onde se realizou uma Análise Exploratória Factorial (EFA) como um primeiro processo de purificação, no qual foi obtido o ajuste de todos os índices estatísticos. Como resultado foram obtidas três dimensões (1) Foco na funcionalidade e desempenho do núcleo; (2) Redução substancial de custos; e (3) Criação de um Ecossistema Frugal, todos compostos por 9 itens, três itens em cada dimensão. Uma segunda rodada de pesquisa foi realizada com 247 empresas brasileiras, e com esses dados foi realizada uma Análise de Fator de Confirmação (CFA) e verificação de consistência interna, onde todos os ajustes foram obtidos novamente. O questionário foi submetido a procedimentos de tradução posterior para alcançar a validade da tradução e, em seguida, realizaram-se mais duas pesquisas, com 250  empresas americanas e com 300 empresas indianas para fins de validação final. Como resultado, foram obtidas outras validações, como a validade convergente, a  validade discriminante, a verificação da confiabilidade e a validade nomológica (através da aplicação de  outras escalas). A escala foi aplicada às empresas indianas com o objetivo de obter resultados de outro país emergente. Contribuir para a discussão sobre a inovação frugal é ou não apropriado apenas para países emergentes ou, também, é um fenômeno que pode ocorrer em países desenvolvidos, essa escala também foi aplicada com empresas dos EUA. Com esta escala valida, este estudo contribui para a realização de outras pesquisas, permitindo obter resultados de outros países, desenvolvidos ou em processo de desenvolvimento, para pesquisas comparativas e para uma melhor compreensão das relações da inovação Frugal com outros fenômenos.