Estudo qualitativo e iconográfico de calçados femininos sobre ocasião de uso e profissões
Home Dissertações

Estudo qualitativo e iconográfico de calçados femininos sobre ocasião de uso e profissões

Estudo qualitativo e iconográfico de calçados femininos sobre ocasião de uso e profissões

Denise de Barros Barrone Camargo Barbone

Orientador(a): Luciana Florêncio

O objetivo deste trabalho foi compreender o uso de calçados femininos, especialmente nas ocasiões de trabalho e lazer, e relacionar com as profissões desempenhadas pelas consumidoras. Para isso, foi realizado um estudo qualitativo e iconográfico por meio de um diário de uso eletrônico, com 30 mulheres de classe AB que atuam em cinco áreas profissionais. A premissa central deste estudo consiste na possível relação entre a área de atuação profissional da mulher com o estilo de sapato usado em diferentes ocasiões. Nesse sentido, haveria uma predisposição das mulheres em adaptar o estilo do calçado e tamanho de salto (moderno, clássico, fashion, salto alto e baixo) ao tipo de profissão desempenhada. Os resultados indicam que mesmo profissionais da mesma área, como da área da educação, adotam estilos diferentes de calçados, expressando a individualidade de cada consumidora. Profissões que exigem ambientes com dress code e maior praticidade ao caminhar, como advogadas, os calçados clássicos prevaleceram. Profissões autônomas, como educadoras e designers, os estilos individuais foram considerados como principais em suas escolhas, sendo fashion no estilo para professora de inglês; ou moderno para a profissional de designer, e os saltos são os muito altos ou sem salto nenhum. Os resultados evidenciaram que não há relação aparente entre a profissão adotada e o estilo de calçado utilizado. Entretanto o uso do salto alto é determinante na ocasião de trabalho em todas as profissões. Um estudo mais aprofundado deve ser conduzido a fim de testar as proposições levantadas nesta pesquisa e permitir resultados aplicados para os fabricantes e varejistas de calçados femininos.