Economia comportamental e alfabetização financeira no Brasil
Home Dissertações

Economia comportamental e alfabetização financeira no Brasil

Economia comportamental e alfabetização financeira no Brasil: Impactos na previdência privada

Luis Fernando Morais Vidal

Orientador(a): Cristina Helena Pinto de Mello

A presente dissertação tem por objetivo investigar se o grau de Alfabetização Financeira dos indivíduos é um fator determinante do planejamento de aposentadoria no Brasil. A mensuração da Alfabetização Financeira tomou como base a escala utilizada por Van Rooij, Lusardi e Alessie (2011). A escala original desenvolvida por esses autores divide-se em duas partes. A primeira delas destina-se a medir a Alfabetização Financeira básica que mede o conhecimento sobre taxa de juros, inflação, valor do dinheiro no tempo e, a segunda, mede a Alfabetização Financeira avançada, analisando o conhecimento sobre o mercado acionário, risco, retorno, diversificação, títulos e fundo mútuos. Além disso, à luz da economia comportamental, avaliamos como o brasileiro se sentiria com a aplicação de um Nugde na adesão ao plano de previdência privada. Essa avaliação foi realizada por meio de duas questões elaboradas pelo autor, utilizando uma escala tipo Likert de 5 pontos. Para isso, foram entrevistados de forma on-line 226 pessoas de idade entre 30 e 60 anos. Os entrevistados foram divididos em cotas por classe econômica, a partir dos rendimentos familiares per capita expressos em reais de acordo com os critérios utilizados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O questionário também contemplou as perguntas sociodemográficas (idade, sexo, escolaridade, e situação de emprego). Em suma, os resultados apontam que a alfabetização financeira está fortemente associada ao planejamento de aposentadoria. Além disso, os resultados também demonstram que os indivíduos enxergam positivamente o Nudge, um dos principais instrumentos da economia comportamental. Portanto, podemos concluir que é extremamente importante que haja investimentos na criação de programas de educação financeira e estudos na área da economia comportamental, seja de ordem pública ou privada, para que possamos ampliar o conhecimento e o planejamento dos indivíduos para a aposentadoria.