Comunicação, educação e consumo
Home Dissertações

Comunicação, educação e consumo

Comunicação, educação e consumo: a telenovela Lado a Lado e a questão do negro no Brasil

Rosana Grangeiro Barreto

Orientador(a): Maria Aparecida Baccega

Esta pesquisa versa sobre o uso da produção televisiva brasileira em sala de aula nas escolas de ensino Fundamental e Médio. Nosso objeto, a telenovela Lado a Lado (Rede Globo, 2012/2013), mostrou a modernização brasileira dos primeiros anos do século passado ao focalizar a vida dos habitantes da cidade do Rio de Janeiro e discutir o preconceito, o racismo, as disputas territoriais no espaço urbano, a religião e a cultura africana, a integração do negro na sociedade, dentre outros temas. Entendemos a teledramaturgia como um dos lugares onde se apresentam e se discutem diversas questões relativas ao diversificado cotidiano brasileiro. Essa telenovela oferece insumos importantes para o debate sobre a questão do negro na atualidade e permite, ainda, refletir sobre o deslocamento do lugar de fala hegemônico da narrativa histórica dos vencedores para os vencidos pois, em Lado a Lado, os narradores da trama são os excluídos negros e pobres.

Trabalhamos com os aportes teóricos do campo Comunicação/Educação e dos estudos das interfaces Comunicação/Consumo. No campo Comunicação/Educação, compreende-se o sistema midiático como parte integrante dos processos educacionais, discute-se as inter-relações entre mídia e escola como um processo dinâmico no qual também está envolvido o consumo, entendido como prática cultural central na contemporaneidade. Nosso estudo buscou compreender como se constitui a interação comunicacional entre a escola e a pedagogia não formal da telenovela brasileira. Na pesquisa empírica, de abordagem qualitativa, procuramos estabelecer um diálogo entre os discursos da trama e sua recepção por parte dos professores. Nessa pesquisa de campo, foram entrevistados dez professores selecionados em três escolas da Grande São Paulo, sendo uma pública e duas da rede particular. Com base nas entrevistas, analisamos o consumo cultural destes educadores e as formas de uso da mídia em sala de aula, com ênfase na televisão. A ideia foi investigar como o consumo midiático atravessa, devido à sua presença cotidiana em nossas vidas, o processo educativo. Discutimos sobre o potencial pedagógico da telenovela e sua abordagem no contexto escolar. Analisamos como esse conteúdo é recebido e ressignificado pelos educadores. Procuramos refletir sobre como o conteúdo ficcional pode vir a complementar o trabalho dos profissionais que promovem a construção de conhecimento e o senso crítico na formação de jovens estudantes. Para a maioria dos entrevistados, é a escola que tem o dever de educar. Predomina a visão funcionalista da Comunicação e há uma grande preocupação com efeitos nefastos da mídia sobre os jovens. Entendemos ser indiscutível o papel da educação como uma instância de peso na construção de conhecimento, o que está relacionado à construção de cidadania. Entretanto, destacamos que esta construção transita hoje também pela comunicação e o consumo cultural. Diante da complexidade do contemporâneo, concluímos que encontrar um equilíbrio entre os diferentes atores sociais que constituem o multifacetado ecossistema educativo constitui um dos principais desafios da educação na atualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *