Comunicação, consumo e colecionismo
Home Dissertações

Comunicação, consumo e colecionismo

Comunicação, consumo e colecionismo: produção de memórias e práticas identitárias do fã-colecionador de estátuas e dioramas bishoujo

Wagner Alexandre Silva

Orientador(a): Profa. Dra. Mônica Rebecca Ferrari Nunes

Esta dissertação analisa a produção sígnica das estátuas e dioramas bishoujo, sob a ótica do campo da Comunicação, do Consumo e da Memória no contexto atual, e o quão importante é o seu colecionismo para a manutenção dos registros de memória do fã e do colecionador. O trabalho se refere à hibridização da cultura pop e destaca a ocorrida com a cultura pop japonesa, de modo a permitir conceituar um ator sócio-econômico-social surgido, neste contexto, denominado como fã-colecionador. Por intermédio de depoimentos de fãs e colecionadores e da análise de imagens e ilustrações, e fundamentado teoricamente pelos conceitos de cultura de massa e imaginários apresentados por Edgar Morin (2002); de fãs, trazidos por Cornell Sandvoss (2005); de colecionador e coleção, discutidos por Walter Benjamin (2009) e Jean Baudrillard (2008), de memória, concebidos por Iuri Lotman (1981)  e por Andreas Huyssen (2000), de shôjo mangá e cultura pop japonesa, demonstrados por Sônia Luyten (2005), Yuji Gushiken (2013) e Michiko Okano (2015), de cena cosplay, desenvolvido por Mônica Nunes (2014; 2015); de comunicação e consumo, elaborados por Grant McCracken (2003); de identidade, proposto por Manuel Castells (2000); e culturas híbridas, apresentados por Néstor García Canclini (2013), e demais autores ligados ao estudo desenvolvido, buscou-se avaliar como o consumo das estátuas e dioramas bishoujo tem contribuído na operação de memórias do fã e do colecionador, na recodificação da cena cosplay e na construção identitária do fã-colecionador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *