A relação entre materialismo e consumo colaborativo
Home Dissertações

A relação entre materialismo e consumo colaborativo

A relação entre materialismo e consumo colaborativo

Paula Alexandra Baeta Dos Santos

Orientador(a): Mateus Canniatti Ponchio

O materialismo refere-se à valorização que o indivíduo atribui à aquisição e ao acúmulo de bens como forma de expressão de sua personalidade e identidade social. O consumo colaborativo, por sua vez, corresponde a uma forma de consumo alternativa, na qual a aquisição e posse de bens cedem lugar a práticas de consumo organizadas, principalmente, em torno do compartilhamento e do acesso. Dadas estas definições, parece haver um conflito entre a adesão ao consumo colaborativo por parte de indivíduos mais materialistas. O objetivo deste estudo foi entender se o materialismo é antecedente da propensão de adesão às práticas de consumo colaborativo. Além disso, analisou-se também a relação entre o perfil materialista do indivíduo e a importância atribuída a aspectos motivadores da sua adesão ao consumo colaborativo. Para tanto procedeu-se um levantamento de campo com 223 entrevistas telefônicas realizadas  junto a moradores da região metropolitana de São Paulo. A mensuração do materialismo foi feita por meio da escala reduzida de Richins (2004) adaptada por Ponchio e Aranha (2008). A escala foi validada no contexto desta pesquisa. A partir do referencial teórico foram selecionadas quatro práticas de consumo colaborativo a serem investigadas: troca ou venda de produtos usados, aluguel ou empréstimo de produtos, aluguel de carro e troca de bens intangíveis (serviços). Da mesma forma foram selecionados os motivadores de adesão. Os resultados apontam que o consumo colaborativo se apresenta como alternativa a ser adotada por indivíduos mais materialistas, desde que não seja baseado no acesso, e sim na troca ou aquisição de bens usados. Uma possível motivação para seu engajamento é a oportunidade de adquirir produtos inovadores, que contribuam de alguma forma para a sua distinção social. Ao final foram discutidas as implicações acadêmicas e gerenciais destes resultados, assim como suas limitações e as recomendações para pesquisas futuras