A intenção de adoção com base na origem e seu contexto no processo de escolher por café
Home Dissertações

A intenção de adoção com base na origem e seu contexto no processo de escolher por café

A intenção de adoção com base na origem e seu contexto no processo de escolher por café

Renata Pozelli Sabio

Orientador(a): Eduardo Eugenio Spers

Este estudo teve como objetivo analisar o contexto do atributo origem na escolha alimentar e sua intenção de adoção. A realização da pesquisa contou com três principais etapas, sendo as duas primeiras qualitativas e a terceira quantitativa. Na primeira etapa (entrevistas em profundidade) foi feita uma aplicação do modelo conceitual do processo de escolha alimentar, além de explorado o contexto da origem para diversas categorias de alimentos. Em seguida, realizou-se uma pesquisa sobre o modo como os consumidores analisam e processam a origem do café (entrevistas e grupos focais), comparando-se uma região tradicional na produção de café, a uma região não tradicional (Minas Gerais e Bahia). Por fim, a última etapa contou com experimento online, no qual foi analisada a intenção de adoção para diferentes origens de café (Brasil e Colômbia). Os resultados obtidos mostraram que quando a origem não é mencionada, os consumidores não  costumam fazer uma associação desta como parte do processo de escolha alimentar. Porém, encontrou-se que a origem está presente e influencia nas escolhas alimentares de diversas maneiras, mesmo que indiretamente. Com relação ao café, os consumidores consideraram a origem como sendo fonte de informações sobre o produto e também um diferencial de qualidade, principalmente de sabor. Quando comparadas as regiões do Cerrado Mineiro e da Bahia, houve preferência pela tradicionalmente produtora do grão (Cerrado). A comparação entre países (Brasil e Colômbia) mostrou que a intenção de adoção para o café com origem do Brasil foi superior à do café com origem da Colômbia. Ainda, a vantagem relativa foi a variável que apresentou a maior relação com a intenção de adoção, seguida pela compatibilidade. A incerteza apresentou associação positiva e significativa com a intenção de adoção para o café com origem do Brasil, mas não para o café com origem da Colômbia.