A gestão dos stakeholders na implementação de inovação em serviços no varejo farmacêutico brasileiro
Home Dissertações

A gestão dos stakeholders na implementação de inovação em serviços no varejo farmacêutico brasileiro

A gestão dos stakeholders na implementação de inovação em serviços no varejo farmacêutico brasileiro

Teresa Cristina Alves Charotta

Orientador(a) : Felipe Mendes Borini

A questão de pesquisa que guiou essa dissertação foi como a gestão dos stakeholders contribui na implementação de inovações em serviços? Assim o objetivo geral da dissertação foi compreender como o posicionamento e o relacionamento dos stakeholders direcionam as estratégias de implementação de inovações em serviços. Para tanto, foi analisada, como objeto de pesquisa, a implementação de inovação em serviços no varejo farmacêutico brasileiro. Foi realizada uma pesquisa qualitativa exploratória descritiva com método estudo de caso único com análise intracaso da Rede de Farmácias Pague Menos, com entrevistas de campo estruturadas e Focus Group. Em seguida, foi categorizada para análise em Stakeholders: Estratégia de Posicionamento e Abordagem de Relacionamento para realização da coleta de dados. Na 1ª. etapa da coleta de dados foram realizadas entrevistas de campo com stakeholders dirigentes de alto nível hierárquico, CEO, CIO e gestores especialistas atuantes no mercado farmacêutico e da Saúde. Na 2ª. etapa foi realizado um Focus Group com consumidores que frequentam farmácias e drogarias, mas desconhecem o que são serviços farmacêuticos  diferenciados. A participação no Evento Abrafarma Future Trends 2016 proporcionou a realização de entrevistas observacionais de entidade e Governo (Anvisa). O período da coleta de dados aconteceu entre os meses de agosto e novembro de 2016. Como contribuição acadêmica o que se buscou nesse estudo foi trazer a Teoria dos Stakeholders aplicada à inovação, inovação em serviços e inovação de modelo de negócio para responder como o stakeholder se comporta perante a implementação de inovação em serviços no varejo farmacêutico brasileiro, o qual foi baseado na matriz estratégica de  posicionamento  (Freeman, 1984) e matriz estratégica de abordagem de relacionamento (Frooman, 1999, 2002) que  identificou os interesses, o potencial de poder e potencial de ameaças exercidas pelos stakeholders. O estudo conseguiu demonstrar a estratégia adotada pelos stakeholders e a rede varejista, se é suportada, parcialmente suportada ou não suportada. Como contribuição gerencial buscou-se responder as questões que Carrol e Buchholtz (2000) estabelecem para uma organização se orientar no desenvolvimento de ações com os stakeholders.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *